top top top
top top top
menu
biografia
menu
 
miolo

GEOLOGIA PARA POETAS II

O ciclo de palestras Geologia para Poetas II é uma forma de conhecer um pouco mais a grande aventura do planeta Terra, acompanhada de toques de poesia. Trata-se de um grande encontro com artistas e especialistas que acontece durante a exposição Caminhos do passado, mudanças no futuro, na Casa da Ciência, em parceria com o Departamento de Geologia da UFRJ.

Claudia Roquette-Pinto participará do evento no dia 30 de Outubro de 2007 ligando (a sua) poesia ao tema “Pequenos artefatos do tempo”.

Inscrições pelo telefone 2542-7494


VOZES FEMININAS NA
LITERATURA BRASILEIRA

O curso pretende atualizar o debate sobre as vozes femininas na literatura, a partir de diferentes leituras estéticas, como a filosofia, a psicanálise e teorias literárias. Como objeto de estudo, temos a análise literária de obras dos séculos XIX, XX e XXI, dentre as quais se encontram Narcisa Amália, Julia Cortines, Gilka Machado, Ana Cristina César, Adélia Prado, Cláudia Roquette Pinto e Orides Fontela.
http://www.cce.puc-rio.br/informativo/infovozes.html


DIZER O POEMA
BIENAL DO LIVRO DO RIO DE JANEIRO 2007

Dizer o poema
Enviado por Ana Beatriz Guerra
em 13/9/2007
Quer saber onde fica o hype da Bienal? Esqueça, porque hype mesmo é não ser hype.Fui conferir a primeira sessão do Jirau de Poesia (Pavilhão Laranja), com Alberto Pucheu, Antonio Cícero, Chacal, Claudia Roquette-Pinto e Gabriel, O Pensador, mediados por Claufe Rodrigues.
Clique aqui para ler o texto na íntegra aqui.


VI ENCONTRO INTERNACIONAL DE POETAS
UNIVERSIDADE DE COIMBRA

De 24 a 27 de Maio de 2007, Claudia Roquette-Pinto participou do VI Encontro Internacional de Poesia realizado na Universidade de Coimbra, Portugal.

Para mais informações sobre o evento: www.uc.pt/poetas

volta

Prêmio Telecom de Literatura 2006

Na festa de entrega do prêmio Portugal Telecom, com Miltom Hatoun e Wilson Bueno

volta

Copa da Cultura

Com o objetivo de amplificar a divulgação da cultura brasileira na Alemanha, aproveitando a Copa do Mundo de 2006, foi desenvolvido um programa de intercâmbio cultural entre Brasil e Alemanha.
Durante todo este ano aconteceram na Alemanha atividades como apresentação de artistas representativos da arte brasileira contemporânea. Claudia Roquette-Pinto foi convidada a participar deste evento no dia 16/11/2006, apresentando sua poesia vertida para o Alemão.

volta

 
GRAP = grafite + rap + poesia

Linguagem sem fronteiras
Galeria Severo172, na Glória, reúne poetas, rappers e grafiteiros em evento na quarta-feira.

A poeta Cláudia Roquette-Pinto conheceu o grafiteiro Bragga numa oficina do grupo Nação Graffiti, na Fundição Progresso. Desse encontro inusitado surgiu a percepção de que as formas de expressão artística que cada um praticava, longe de serem antagônicas, tinham muito em comum:

- A poesia e a grafite têm uma multiplicidade de visões, permitem abordagens variadas de um mesmo tema - diz Cláudia, que, depois de experimentar o grafite na primeira oficina, convidou Bragga para dar aulas em casa para ela, filhos e amigos.

Para explorar todas as semelhanças entre a vetusta poesia e a descolada arte urbana, a Galeria Severo 172, na Glória, promove um evento que ostenta a multiplicidade já no nome: "Grap = graffiti + rap + poesia". A mistura de festa, performance e exposição acontece quarta-feira, a partir das 19h30m. A galeria fica na Rua Augusto Severo, 172.

Com curadoria de Cláudia Roquette-Pinto e do grupo Nação Graffiti, o evento promoverá todo tipo de miscelânea artística: DJs samplearão trechos de Poemas lidos pelos autores; VJs farão projeções inspiradas nos textos; grafiteiros criarão na hora obras influenciadas pel0 clima da festa na galeria, que tem capacidade para cerca de 500 pessoas.

volta

“Por que não?": Rupturas e continuidades da contracultura

Este seminário que foi uma ação conjunta de pesquisadores da UERJ, da UFRJ, da PUC-Rio e da Universidade Candido Mendes, reuniu intelectuais e pensadores das mais diversas áreas nos dias 18 e 19 de setembro de 2006. Além da participação de Claudia Roquette-Pinto na roda de Leituras de Poesia coordenada por Sérgio Cohn, com a presença dos poetas Chacal, Ericson Pires e Leonardo Froés, este evento contou com a participação dos antropólogos Eduardo Viveiros de Castro e Gilberto Velho, os poetas Antonio Cícero e Paulo Henriques Britto, o político Fernando Gabeira e os críticos Luiz Carlos Maciel, Paulo Sérgio Duarte, Luiz Camillo Osório e Flora Süssekind.

volta

 
Olhares femininos | Mulheres brasileiras

De 10 a 12 de Maio de 2006 Claudia Roquette-Pinto participou de uma grande ação multimídia sobre mulheres realizada pelo SESC - Rio, com o projeto e produção da [X] BRASIL. O evento contou com lançamento de dois livros, uma exposição fotográfica e um ciclo de palestras.

volta

FLIP 2005

Trecho extraído da matéria “De como a poesia está para a prosa”, de Paula Barcellos e Vivian Rangel, publicada no Jornal do Brasil em 8 de julho de 2005

Expoente da geração 70 de intelectuais brasileiros, a editora Heloisa Buarque de Hollanda mediou o debate Coro dos contrários?, ontem, ao meio-dia, na Tenda dos Autores. Foi uma hora e meia de pura poesia. Alberto Martins, Claudia Roquette-Pinto e Paulo Henriques Britto, dignos representantes da poesia nos anos 90, leram versos de seus livros e colocaram na berlinda a existência ou não das tais gerações.

Praticante de Budismo tibetano, Claudia, vencedora do prêmio Jabuti de poesia com Corola, lança, durante a Flip, Margem de Manobra, pela Aeroplano. Entre uma e outra leitura de seus versos, a poeta contagiou o público com suas tiradas:

- Ler poesia é algo meio estranho. Sempre parece que perdemos algo. Espero que a gente ganhe em contato humano o que perdemos nas páginas – disse Claudia, arrancando aplausos da platéia.
Alberto Martins entrou bem no clima da cidade. Todos os poemas que declamou – como Cardume, Antígona e Sobre o Atlântico – tinham o mar como linha do horizonte. Alguns deles selecionados de Cais.
- Sei que existe uma geração mais nova, poetas de 20 anos que vêem o modernismo como tirania. Não vejo assim. Acho que o movimento deu matriz comum a um grupo de poetas, no qual me incluo – acredita Martins.
Conhecido por suas traduções, Paulo Henriques Britto, ganhador da última edição do prêmio Portugal Telecom com Macau, é ainda mais radical com o conceito de geração:
- Acredito que a geração de 70 foi a última como um movimento. Não sei o que é fazer parte da geração 90.
Se os três poetas fazem parte realmente de uma geração, só o tempo pode dizer. Mas que eles representam um novo caminho na poesia não há dúvidas:
- Sinto que há um percurso individual. A poesia está mais exposta ao mundo. Talvez nesse sentido haja uma união – sintetiza Claudia.

volta

Palestra de Oficina de criação poética na PUC-Rio

No ano de 2005, Claudia Roquette-Pinto foi convidada por Paulo Henriques Britto, poeta e professor da área de formação do escritor do departamento de letras da PUC - Rio, para ministrar uma palestra para os alunos do curso de Oficina de Criação Poética. O tema abordado por Claudia nesta palatra foi a sua formação como poeta, o seu processo de elaboração do poema, e a sua concepção de forma poética.

volta

Fórum Poesia

No dia 12 de Junho de 2002, Claudia Roquette-Pinto participou do Fórum Poesia, promovido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Este fórum que teve início no ano de 2000, aproxima do meio universitário a produção poética contemporânea presente no cenário carioca. Vários poetas consagrados se apresentaram no Fórum Poesia, lendo seus próprios textos e debatendo-os com o público. Claudia participou do debate “A poesia contemporânea”, ao lado de Eucanaã Ferraz e Cairo Trindade.

volta

Primavera dos livros

Claudia Roquette-Pinto participou do evento Primavera dos Livros, que aconteceu dia 21 de Outubro de 2001 no Jockey Clube Brasileiro, no Rio de Janeiro. O evento contou com 56 editoras reunidas numa feira em que o personagem principal era o livro. Claudia participou junto com Donizete Galvão, Afonso Henriques Neto e Fernando Paixão do debate Pra quê poesia hoje?, com mediação de Ieda Hühne.

volta

I Seminário de Poesia da UFF

Poesia hoje

Comissão Organizadora:
profa. Célia Pedrosa
profa. Claudia Matos
prof Evando Nascimento

Claudia Roquette-Pinto participou deste evento no dia 09/10/1997, na Leitura de Poemas. Nesta leitura, além de Claudia, também estavam presentes os poetas Armando Freitas Filho, Antonio Cícero, Carlito Azevedo, Chacal, Lu Menezes e Paulo Henriques Brito.

volta

O LIVRO AO VIVO
ORGANIZAÇÃO DE CLAUDIA ROQUETTE-PINTO

Matéria publicado no jornal O Globo em 1994 sobre este evento

Editores debatem produção literária
A possibilidade de debater os meandros do mercado editorial brasileiro com dois jovens e bem sucedidos editores levou 140 pessoas a lotarem o auditório do Centro Cultural Candido Mendes, em Ipanema, anteontem à noite. Na primeira das 12 palestras de "O livro ao vivo - Primeiro seminário IBM de literatura e mercado editorial", evento organizado por Claudia Roquette-Pinto com coordenação de Candido José Mendes de Almeida e Maria Elisa de Araújo, Luis Schwarcz. da Companhia das Letras, e Isabel Lacerda, da Nova Aguillar, falaram sobre produção literária e indústria editorial.

Schwarcz recorreu a metáforas sobre as obsessões do escritor para revelar o que considera a mais importante das atribuições de um editor: equilibrar o trabalho criativo e o processo editorial: - Tentamos fazer com que a expressão literária, o tempo de criação, esteja em consonância com o tempo do trabalho editorial.

Isabel Lacerda deteve mais sobre a Nova Aguillar, especializada em obras completas de autores clássicos. Segundo ela, sua editora, cujas publicações têm capa dura e são em papel bíblia, tem dificuldades muito específicas.

- Como a maioria dos autores clássicos já está morta, temos um trabalho redobrado para prepararmos o melhor material possível. Por isso, a publicação do livro do João Cabral de Mello Neto foi bem mais tranqüila. Tirávamos as dúvidas com o próprio João – disse.

O seminário - que faz parte do projeto Comunicação ao Vivo do centro cultural - vai reunir editores, escritores, críticos, entre outros,duas vezes por semana, até o 14 de dezembro. A transcrição dos depoimentos vai virar livro. Hoje, a partir das 20h, Lygia Fagundes Telles e Ferreira Gullar, falam sobre a vida do escritor. (Eros Ramos de almeida)

O LIVRO AO VIVO
Candido José Mendes de Almeida,
Maria Elisa de Araújo e Claudia Roquette- Pinto (orgs.)

O Livro ao vivo é o resultado do 1º Seminário IBM de Literatura e Mercado Editorial, realizado entre 7 de novembro de 1994 e 14 de dezembro de 1994. Nele, escritores, editores, tradutores, gerentes editoriais, jornalistas especializados, críticos e, é claro, leitores reuniram-se no Centro Cultural Candido José Mendes de Mendes de Almeida para debater a produção editorial brasileira em suas várias facetas.
Logo as perguntas iniciais tornaram- se tímidas diante do interesse e da curiosidade do público e da fascinante multiplicidade de informações oferecidas pelos profissionais. Desse encontro resulta um painel inédito sobre o mercado editorial.

Os depoimentos foram gravados, transcritos e editados de modo a preservar a essência do que foi dito e garantir o impacto das idéias debatidas, além de preservar o estilo de cada autor.

O seminário O Livro ao vivo e sua posterior publicação fazem parte do projeto Comunicação ao Vivo, criado pelo Centro Cultural Candido José Mendes de Almeida em 1986 com o objetivo de formar uma bibliografia da comunidade brasileira a partir do que ela tem de mais vibrante, o depoimento de seus principais profissionais.

volta

 
© 2006 claudia roquette-pinto | contato